coluna saude roberto daiub

Para que serve o teste ergométrico?

O teste ergométrico é um método diagnóstico de doenças cardiovasculares que associado a outros exames, é capaz de auxiliar na detecção precoce de distúrbios cardiovasculares em fase assintomática (check-up).  É útil também na avaliação da resposta ao tratamento e acompanhamento da tolerância ao esforço e de sintomas desencadeados pelo exercício. O teste ergométrico é um procedimento que submete o indivíduo a um esforço progressivo, em bicicleta ou esteira ergométrica, monitorado por eletrocardiograma e pressão arterial, em sequências de intensidade adaptadas ao nível de condicionamento físico, capacidade de esforço e idade do paciente.

O teste dura cerca de 20 minutos, sendo em média 10 minutos de exercício e 6 minutos de recuperação. O protocolo de exercício deverá ser concluído, preferencialmente por exaustão ou fadiga muscular, porém poderá ser interrompido a qualquer momento a critério do médico responsável pelo exame.

  • Categoria: Saúde

Glomerulonefrite

Forma de doença renal na qual os glomérulos, que filtram os desperdícios do metabolismo e fluidos do sangue, estão danificados.

Pode ser definida como um processo inflamatório, não purulento, bilateral e simétrico que atinge fundamentalmente ou inicialmente os glomérulos renais. Se esta doença não for interrompida, os rins podem deixar de funcionar, instalando-se um quadro de insuficiência renal.

A glomerulonefrite pode ser aguda, quando se desenvolve subitamente, ou crônica. As formas agudas podem ocorrer após uma infecção da garganta ou da pele e, por vezes, melhoram de um modo espontâneo.

  • Categoria: Saúde

TAVI: conheça o tratamento para estenose aórtica sem cirurgia

A doença acontece quando a válvula aórtica do coração, responsável por controlar a liberação de sangue para todo o corpo, não consegue abrir e fechar de forma correta. Essa condição reduz o fluxo do sangue oxigenado e provoca um aumento de pressão no órgão que, sem tratamento, pode levar à morte súbita.

O principal tratamento é o implante de uma nova válvula aórtica ou substituição da válvula doente. Por muitos anos, o procedimento era feito por meio de cirurgia que precisava de abertura do peito, porém a incisão invasiva trazia altos riscos para pessoas fisicamente mais frágeis, como pacientes com outras doenças graves e idosos.

  • Categoria: Saúde

Refluxo Laringo-Faríngeo

O refluxo laringo-faringeo é uma condição na qual o ácido produzido no estômago reflui pelo esôfago até a garganta provocando alterações na mucosa.

O ácido do estômago pode subir pelo esôfago até à faringe e laringe, produzindo uma lesão química da sua mucosa que, ao contrário da do esôfago, não possui proteção para o mesmo.

Assim, pode-se estar na presença do refluxo laringo-faringeo, sem ter os sintomas clássicos e sem haver alteração nos exames de endoscopia habitualmente realizados. 

Esta laringite de refluxo manifesta-se por rouquidão, sensação de irritação ou muco na garganta, tosse e pigarro recorrente.

Os indivíduos mais propensos a desenvolver a patologia são aqueles que têm:

  • Categoria: Saúde

Esteatose Hepática (Gordura no Fígado)

A causa mais comum são os distúrbios do metabolismo, onde há excesso de circulação de gorduras no sangue com consequente excesso de oferta de gordura para o fígado. Estes distúrbios do metabolismo incluem o sobrepeso, a obesidade, o diabetes e o pré-diabetes, condições de alta prevalência na população.

Para eliminar a gordura no fígado, temos algumas medidas não farmacológicas que incluem:

Perder peso;

Reduzir a ingestão de álcool;

Fazer uma dieta rica em nutrientes e com baixo teor de calorias e gordura saturada; e

Fazer pelo menos 30 minutos de atividade física de 3 a 4 vezes por semana. 

  • Categoria: Saúde

Café e hipertensão arterial

O café é uma das bebidas mais consumidas no mundo há mais de mil anos. Contém cafeína, mas também outras substâncias, incluindo antioxidantes que podem ajudar a proteger as células do nosso organismo. Após ingerirmos café, ficamos mais despertos, trabalhamos melhor e podemos até melhorar nosso humor. Mas por outro lado, em pessoas mais sensíveis, o café pode causar insônia, nervosismo e palpitações, principalmente se consumido em excesso.

O café pode produzir dois efeitos contraditórios em relação a pressão arterial:

Por ser rico em cafeína, pode causar aumento da pressão arterial logo após o consumo, sendo que o café descafeinado também pode provocar essa elevação; e

Por outro lado, em indivíduos que adquirem tolerância, o consumo pode ser benéfico devido a presença de polifenóis que são substâncias que diminuem a presença de radicais livres, e em alguns estudos desenvolvidos com milhares de pacientes em todo o mundo , demonstrou que o consumo moderado de café, pode trazer benefícios cardiovasculares.

  • Categoria: Saúde

Hipertensão arterial e sono

A má qualidade do sono pode aumentar o risco de hipertensão

Durante o sono, a pressão arterial e a frequência cardíaca diminuem. No entanto, dormir mal pode fazer com que o corpo produza menos hormônios que controlam a circulação. Isso pode levar a problemas cardiovasculares, como hipertensão e doenças cardíacas. 

Alguns distúrbios do sono, como a insônia e a apneia, podem piorar a hipertensão. A apneia do sono pode influenciar diretamente no desequilíbrio da pressão arterial. 

  • Categoria: Saúde

Fibratos

Os fibratos ou derivados do ácido fíbrico são os medicamentos de escolha no tratamento da hipertrigliceridemia (AUMENTO DO TRIGLICÉRIDES) e têm um papel importante no controle das dislipidemias mistas (aumento do colesterol e triglicérides)

Fibratos são medicamentos com atuação predominante sobre os triglicérides. Embora os triglicérides não sejam alvo de tratamento do RISCO CARDIOVASCULAR pelas diretrizes atuais, as lipoproteínas ricas em triglicérides transportam expressiva quantidade de colesterol que pode ser aderida na parede do vaso sanguíneo levando a formação de placas ateroscleróticas. Podem ser empregados em duas situações principais: as hipertrigliceridemias graves, para redução do risco de pancreatites; e nas dislipidemias mistas, quando o uso de estatinas e mudanças no estilo de vida não forem suficientes para alcançar as metas.

  • Categoria: Saúde