Soluções locais, debates globais

O que arquitetos e especialistas em economia criativa holandeses têm a apresentar como solução para a cidade de Nova Friburgo? Muito. Nos próximos dias 30 e 31 de maio, representantes da sociedade civil, estudantes e gestores públicos da cidade e de mais 20 municípios próximos se reunirão no Teatro Municipal de Nova Friburgo para refletir sobre a Economia Criativa, seus caminhos, e a importância de estimular o seu desenvolvimento numa cidade vocacionada para a indústria metal mecânica, e que recentemente teve que se refazer por conta de um desastre causado pelas chuvas. O evento, organizado pelo Instituto Serrano de Economia Criativa tem o apoio do Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio e é uma ótima oportunidade de enfrentar desafios locais pensando globalmente.

 Num ambiente como esse, casar a ambição de uma cidade amigável aos seus cidadãos e a turistas, com a formação para um mercado que se conecta facilmente com o mundo, que é o do audiovisual, pode representar a construção de novas vias e alternativas que minimizam o impacto das atividades sobre o meio ambiente, e geram emprego e renda para a população.

Hoje Friburgo já dispõe de 2.500 metros quadrados de estúdios, que precisam ser ocupados com pessoal técnico, produções e criatividade. Isso sem contar as inúmeras belezas naturais que encantam quem lá escolheu viver e podem servir de cenário para filmes e comerciais. O que a Economia Criativa apresenta, na verdade, não é apenas potencial econômico, mas também novos ares e horizontes para uma cidade que está se refazendo aos poucos, mas que tem pela frente um desafio imenso de se reinventar.

output YPKMC9

Salvar

Salvar

encor medcor so crianca

Salvar

SAF520X231.jpg