ATÉ O ÚLTIMO HOMEM

  • Publicado em Matérias

Projeto de Lei de Marcelo do seu Dino que visa o combate ao suicídio de policiais.

20190903 150714

Em 2018, 343 policiais civis e militares foram assassinados no Brasil. Em 75% dos casos, os assassinatos ocorreram quando os profissionais estavam fora de serviço.

Os dados são da 13ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O estudo também aponta que a violência à qual os policiais estão permanentemente expostos, o estresse psicológico e o acesso a armas têm causado graves efeitos: 104 policiais cometeram suicídio no ano passado (2018). Esse número é maior do que o de policiais que foram mortos durante o horário de trabalho (87 casos).

Por conta disso, o Deputado Estadual Marcelo do Seu Dino, criou o Projeto de Lei     1237/2019 chamado de “ATÉ O ÚLTIMO HOMEM”, inspirado no filme com mesmo nome. O Programa tem a finalidade de agir preventivamente em prol da saúde mental dos profissionais que atuam na área de Segurança Pública no Estado do Rio de Janeiro, através de palestras, seminários e reuniões obrigatórias aos agentes da ativa e optativo aos agentes reformados ou aposentados, para discutir, desenvolver e trabalhar temas como inteligência emocional, trabalho em equipe e humanização das relações intrapessoal e interpessoais, no âmbito da vida profissional e pessoal destes agentes públicos.

 MG 4991

Para o sucesso do desenvolvimento do Programa Até o Último homem, deverão participar, do corpo profissional, psicólogos, médicos, profissionais de assistência social, de direitos humanos, da área de inteligência emocional e outros profissionais da área de saúde mental e física.

- É dever do Estado cuidar e zelar pelo bem emocional e físico destes agentes que doam as suas vidas para garantir o bem-estar social, muitas vezes pondo em risco sua integridade física, mental e emocional - observou.

Segundo Marcelo “não existe a possibilidade de se falar sobre a humanização das polícias e dos militares em geral sem que eles mesmos sejam receptores de cuidados humanizados por parte do Estado e da sociedade em geral. A máxima “a gente só oferece aquilo que tem” também se aplica aos bravos agentes de Segurança Pública do nosso Estado”, concluiu.

O Deputado Estadual Marcelo do Seu Dino é incansável na luta do bem-estar de todos os policiais do Estado do Rio de Janeiro. Uma luta que não terá fim.

Caberá ao Programa Até o Último Homem observar as seguintes diretrizes:

- Propiciar a troca de conhecimento e experiências, sempre buscando a interação dos colegas de trabalho;

- Facilitar o acesso destes agentes a temas como inteligência emocional e apoio psicológico, levando sempre em consideração a dificuldade que o agente de segurança pública tem em procurar ajuda psicológica e apoio emocional, seja em casa ou no ambiente de trabalho;

- Atuar no combate ao suicídio, a depressão e outros distúrbios psicológicos inerentes ou não ao exercício da profissão;

- Dar apoio psicológico e emocional aos agentes que estejam acometidos por deficiências físicas ou mentais;

Entre outras características que estão amplamente desenvolvidas e explicadas no projeto de lei.