Braskem impulsiona sua transformação digital

Estratégias digitais estão transformando praticamente toda a cadeia de valor da companhia

Portfólio de transformação digital da companhia tem ganhos recorrentes estimados da ordem de R$ 460 milhões por ano, valor que compõe parte dos ganhos do programa Transform for Value.

Além disso, a empresa lançou um hub para startups, que contará com um investimento em novos modelos de negócio de aproximadamente US$ 150 milhões nos próximos anos

A Braskem (B3: BRKM3, BRKM5, e BRKM6; NYSE: BAK; LATIBEX: XBRK), líder de mercado e pioneira na produção de biopolímeros em escala industrial, tem investido de forma organizada e recorrente há mais de 5 anos em novas tecnologias e inovação digital. Este é mais um passo da companhia para aumentar ainda mais seu protagonismo em inovação na indústria química, alavancando a competitividade, gerando impacto e resultados sustentáveis.

Leia também: "A reindustrialização é essencial para a retomada do desenvolvimento sustentável”, diz Alckmin

Apostando cada vez mais no uso de tecnologias digitais para crescer em negócios existentes com competitividade e produtividade e para acelerar ganhos em inovação e sustentabilidade, desde 2018, quando iniciou sua transformação digital, a Braskem vem realizando investimentos diretos em tecnologia. Este ano, cerca de R$ 35 milhões foram diretamente alocados no portfólio de produtos de transformação digital. “A Braskem tem um plano de investimento de longo prazo crescente para desenvolver e aprimorar as áreas estratégicas de sua operação. Nossos gastos com tecnologia vão desde a preparação de toda a infraestrutura necessária para rodar os ativos de forma segura e confiável até iniciativas que transformam a indústria”, explica Daniel Sales, Vice-presidente de Investimentos e Tecnologias Digitais da Braskem.

Os valores investidos nos últimos anos permitiram que a empresa avançasse em aplicações que tornam a indústria mais inteligente, segura, autônoma e conectada. Hoje, estratégias digitais estão transformando praticamente toda a cadeia de valor da Braskem, gerando ganhos estimados na ordem dos R$ 460 milhões por ano, valor que compõe parte dos ganhos recorrentes do programa Transform for Value. Para se ter uma ideia, a empresa já conta com mais de 25 iniciativas transformadoras e está desenvolvendo mais de 70 produtos digitais voltados à indústria 4.0 e também às áreas de supply chain, comercial, pesquisa e desenvolvimento, dentre outras.

Um exemplo é o uso da ciência de dados para melhorar as decisões como manutenção preditiva, controle de qualidade e otimização de processos. Além disso, o processo de planejamento de operações foi impactado pela implementação de plataformas de dados que auxiliam na tomada de decisões, como na previsão de demanda, por exemplo. Os recursos investidos também têm sido aplicados em produtos para melhorar experiência dos clientes a partir da adoção de ferramentas baseadas em conceitos de design e melhores práticas de customer experience. 

Melhorias na gestão de pessoas e processos

Para gerenciar as inevitáveis mudanças de processos de trabalho em decorrência da utilização de novas ferramentas digitais, a Braskem desenvolveu uma abordagem iterativa e colaborativa chamada SPEAR. O método incorpora maior flexibilidade e colaboração a melhores práticas de mercado em gestão de mudança e tem sido utilizado para impulsionar a adoção de dezenas de novos produtos digitais na Braskem. 

Parte importante do processo de transformação digital tem sido a promoção do uso de métodos ágeis de trabalho e da aquisição de competências associadas ao desenvolvimento de soluções digitais. Em 5 anos, mais de 3 mil colaborares aprenderam mais sobre temas como ciência de dados, agilidade, e design thinking. A Braskem tem desenvolvido a maior parte destas soluções internamente, com times trabalhando em ciclos de feedbacks rápidos, aprendendo e se adaptando às mudanças de forma eficiente. O ciclo de desenvolvimento de produtos digitais, desde a ideia até a implementação da nova solução, é inferior a um ano, possibilitando que, em muitas vezes, os benefícios sejam capturados rapidamente.

“Nossos colaboradores têm sido parte importante em todo este movimento de transformação digital. Eles são convidados a se envolver diretamente com o desenvolvimento dos produtos digitais que irão transformar a maneira com que trabalham, a enviar sugestões de problemas para serem solucionados por meio de novas tecnologias e a adquirir novas competências do trabalho do futuro. Um exemplo, é como nossos especialistas já desenvolveram mais de 100 modelos de aprendizagem de máquina nos últimos anos”, conta Guilherme Baeta, Chief Digital Officer da Braskem.

Investimento em negócios inovadores

Além dos aportes em inovação digital, a Braskem está diversificando seu portfólio de investimentos a partir da criação de novos modelos de negócio e da incubação de startups internas, desenvolvidas a partir de ideias geradas dentro da própria companhia. Esses negócios digitais da Braskem têm como missão antecipar mudanças de mercado que impactam a empresa e a indústria em geral.  Mais da metade das startups em desenvolvimento estão atreladas aos compromissos da empresa com o desenvolvimento sustentável.

Um exemplo de investimento em novos negócios inovadores é o lançamento do Oxygea, um hub para startups que contará com o investimento de aproximadamente US$ 150 milhões nos próximos anos. A inciativa pretende fomentar inovações disruptivas através de diferentes mecanismos de interação com startups, sempre com viés voltado à sustentabilidade e transformação digital. O hub está apoiado em dois pilares: Venture Builder, mecanismo de estruturação e incubação de novos negócios, inclusive aqueles nascidos dentro da Braskem, e Corporate Venture Capital (CVC), para investimento em startups mais maduras. Do total, serão destinados US$ 50 milhões ao braço de incubação e US$ 100 milhões para o braço de investimento. 

Um dos principais objetivos da Oxygea é a criar e acelerar o desenvolvimento de novas soluções e produtos que ainda não existem no mercado. Para tanto, pretende, fomentar o empreendedorismo e a inovação e também fortalecer o relacionamento da Braskem com o ecossistema de startups, voltado a tecnologias sustentáveis. A intenção é que o hub direcione recursos para ideias com potencial transformador, levando em conta seus diferenciais competitivos.

A empresa também conta com o Braskem Labs, seu programa de aceleração de startups, que esse ano chegou a sua oitava edição e tem por objetivo acelerar negócios com impacto socioambiental positivo por meio da química e do plástico em diversos setores da indústria e da economia. Desde 2015, quando foi criado, mais de 110 startups foram aceleradas e cerca de 30% fizeram alguma parceria de negócio com a companhia ou algum dos co-sponsors. No ano passado, 45% das soluções aceleradas pelo Braskem Labs foram voltadas para economia circular. O Braskem Labs conta com a parceria do Quintessa, aceleradora de impacto que está presente em todas as etapas do programa. 

Outra iniciativa de destaque é a parceria com o AgTech Garage, um hub de agritechs localizado em Piracicaba, um dos mais importantes polos do agronegócio no Brasil. A companhia pretende se conectar a startups e aos demais parceiros do AgTech Garage para, por meio da inovação aberta, promover o desenvolvimento de soluções plásticas sustentáveis e inovadoras para o agronegócio.

MEDCOR Exames Cardiológicos