Programa de tratamento da andropausa pode ser instituído no Estado

O Estado do Rio pode ter o ´Programa Vigor não Depende da Idade´ na rede pública de saúde. O objetivo é proporcionar o diagnóstico, monitoramento e tratamento da andropausa e seus efeitos na saúde do homem, em especial no tocante à deficiência androgênica do envelhecimento masculino (DAEM) e a disfunção erétil (DE), bem como de outras doenças associadas.

A determinação é do Projeto de Lei 5.289/22, de autoria do deputado Márcio Canella (União), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta terça-feira (22/11), em primeira discussão. O texto ainda precisa passar por uma segunda discussão em plenário.

A proposta complementa a Lei 6.674/14, que instituiu a Política Estadual de Atenção Integral à Saúde do Homem. O novo programa será implementado com o intuito de promover a melhoria das condições de saúde da população masculina e de sua qualidade de vida na terceira idade.

Leia também: Primeira lei extraparlamentar do Estado Fluminense

Entre as principais diretrizes estão entender a saúde do homem de uma forma mais ampla ao considerar a qualidade de vida na terceira idade, mediante um conjunto de ações de promoção, prevenção, assistência e recuperação da saúde, executado nos diferentes níveis de atenção da rede pública de saúde.

O programa também pretende promover o tratamento adequado para casos diagnosticados de doenças masculinas, proporcionando os exames laboratoriais e outros meios de diagnósticos auxiliares e terapêuticos, possibilitando o acesso gratuito à terapia de reposição de testosterona e outros tratamentos que sejam recomendados pelo médico.

A iniciativa também deverá promover na população masculina a prevenção e o controle das doenças sexualmente transmissíveis, e realizar estudos e pesquisas que contribuam para a melhoria das ações relacionadas à deficiência androgênica do envelhecimento masculino e à saúde do homem.

O deputado Márcio Canella explicou que a andropausa é marcada pela diminuição nos níveis de testosterona e seus sinais podem ser aliviados com algumas mudanças na rotina do homem.A   condição se caracteriza por níveis de testosterona insuficientes no organismo masculino, ou seja, abaixo dos níveis de referência para um homem adulto saudável.

Isso acaba afetando a sua libido e efetividade sexual, comprometendo a sua qualidade de vida na terceira idade. A reposição hormonal masculina e a reativação da vida sexual do homem, por certo, garantirá ao mesmo uma maior qualidade de vida e evitará transtornos e doenças na terceira idade”, explicou Canella.