Sindicato dos Vigilantes promove encontros em nova sede em Caxias

Eventos esclarecem direitos da categoria e ações da Entidade

O Sindicato dos Vigilantes e Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância, Transportes de Valores, de Prevenção e Combate a Incêndio, de Curso de Formação e Similares ou Conexos de Duque de Caxias - RJ (SIVDC), reuniu os trabalhadores associados vigilantes, vigias e porteiros para um almoço com o seu Presidente, Carlos Gil. Este foi o primeiro encontro de uma série, que serão realizados.

O evento serviu para os convidados conhecerem a nova sede do Sindicato, onde acontecem os encontros, localizada na Av. General Carlos Marciano de Medeiros, lote 02, quadra 18, no bairro Parque Fluminense, Duque de Caxias-RJ.

- É uma confraternização para agradecer a todos os associados pela confiança e apoio ao Sindicato e seus representantes legais e apresentar a nova sede para os membros e seus dependentes e, ao mesmo tempo, tomarem conhecimento do trabalho que vem sendo realizado por nossa diretoria - ressaltou Carlos Gil. Ele destacou as denúncias que foram necessárias para garantirem os direitos dos profissionais que representa: “Fizemos, junto à Policia Federal, denúncias contra empresas que exploram os trabalhadores e solicitamos na Delegacia Regional do Trabalho (DRT) mediações no setor de relações de trabalho através da gerência do Dr. Luiz  Renato e do Dr. Ednaldo, além de ações na justiça do trabalho”.

Leia também: Incapacidade negocial do absolutamente incapaz

Convenções coletivas

Orgulhoso do trabalho prestado, o Sindicalista afirmou que todo esse trabalho realizado faz parte das obrigações do presidente. Ele explicou que é um “grande esforço” realizar convenções coletivas dos trabalhadores vigilantes e escolta armada com o Sindicato Patronal das Empresas de Segurança (SINDESP), dos vigias e vigias porteiros com o Sindicato das Empresas da Baixada Fluminense Asseio (SINFAC), “cobrando e fazendo valer os direitos dos trabalhadores”. E observou: “O presidente deve estar pronto para negociar e defender os interesses e. principalmente, os direitos das categorias”.

Gil falou sobre a o serviço prestado por cooperativas: “somos contra o serviço de cooperativas, que vem crescendo no Estado, pois explora o trabalhador e tira seus direitos trabalhistas”, e disparou “sou contrário a qualquer político que apoia esta pratica em nosso município”.

Benefícios

Os trabalhadores foram informados ainda sobre o que a entidade oferece aos associados:

Sind Vigilanes Consultorio Odonto1º Consultório odontológico próprio, com desconto de 80% (canal e implantes tratados diretamente com a dentista);

2º Óculos de grau para o titular com ajuda no valor de R$ 250,00 em ótica credenciada;

3º Plano de saúde com consultas gratuitas e exames nas clinicas próprias do convênio;

4º Ajuda para frete em 50%; (limitado até 50km);

5º Auxilio natalidade no valor de R$ 100,00;

6º Auxilio matrimônio de R$ 100,00;

7º Serviço para emissão do Perfil Profissiográfico Previdenciário-PPP,

8º Encaminhamento para centro NCTEC, para formação profissional de vigilante e reciclagem;

9º Possibilidade de trabalhar com agenciamento, através do qual o trabalhador pode  obter um ganho de R$ 65,00 a R$ 650,00 por semana, conforme seu desempenho;

10º Cesta básica para os vigias por assiduidade, conforme listagem da empresa;

11º Emissão da certidão negativa do SPC para o associado e fotocópia (xerox) de documentos disponível para os associados;

12º Assistência Jurídica para todos os trabalhadores; e

13º Emissão das certidões para formação de vigilante e reciclagem.

Mediação pela DRT

Sind Vigilanes Carlos Gil e EdnaldoCarlos Gil convidou o Gerente Regional do Trabalho Substituto da DRT-RJ, Ednaldo de Azevedo Silva Junior, para falar sobre mediação. Este disse que o Sindicalista pediu que falasse aos trabalhadores sobre como a mediação pode ajudar na relação entre trabalhadores e empregadores. O representante do Ministério do Trabalho disse que o convite foi oportuno porque acabara de participar, este mês, de um congresso nacional de mediação, realizado pela Secretaria de Relações do Trabalho no SESC da Barra da Tijuca.

Segundo Edinaldo, “o objetivo do congresso foi dar capacitação em mediação de conflitos coletivos de trabalho”. Ele explicou que, segundo o Sistema Mediador, a GRTB de Duque de Caxias é a gerência mais atuante do Estado, contribuindo para a solução de diversos conflitos de classe, evitando paralisações de categorias das mais sensíveis como a REDUC (Refinaria Duque de Caxias), Polo Petroquímico Bayer e, recentemente, a Mediação que evitou a paralisação dos rodoviários de Duque de Caxias e Magé.

Ednaldo Júnior é chefe do Setor de Mediação desde 2013 e tem atuando com isenção, responsabilidade e seriedade, conseguindo contribuir para um melhor relacionamento entre as classes laborais e patronais. “Tentamos fazer com que elas [as partes] percebam os ganhos frutos da mediação, que torna o procedimento mais célere e menos custoso”. E concluiu explicando que “a mediação pública tem o dever de aproximar as partes e contribuir para que elas possam encontrar uma solução para suas demandas. Mesmo na divergência é possível construir acordos razoáveis. A evolução das relações de trabalho nem sempre são positivas, gerando por diversas vezes conflitos na construção de uma convenção ou acordo coletivo de trabalho. O mediador constrói pontes para que as partes possam se aproximar e, através do diálogo, possam encontrar o consenso”. 

Carlos Gil encerrou afirmando que “toda essa conjuntura é realizada através dos nossos associados, aos quais temos que agradecer sempre. Obrigado a todos e vamos nos fortalecer cada vez mais, porque o Sindicato não e só o Presidente e sua Diretoria e, sim, todos os trabalhadores. Unidos somos mais fortes. Associem-se!”.

MEDCOR Exames Cardiológicos
MEDCOR Exames Cardiológicos