Estado e Ministério da Infraestrutura criarão Grupo de Trabalho para tratar do modelo de concessão do Santos Dumont

Em nota conjunta, distribuída após reunião ocorrida na quarta-feira (12/01) na sede do Ministério da Infraestrutura, onde estiveram presentes o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, e o senador Carlos Portinho, foi divulgada a decisão de constituir um Grupo de Trabalho (GT) para aprimorar o modelo de concessão do Aeroporto Santos Dumont (RJ), previsto para ser leiloado durante a 7ª rodada de concessões aeroportuárias.

Diz a nota que o “GT será formado por técnicos dos governos federal e estadual, além de representantes do consórcio contratado para elaboração dos estudos da 7ª rodada, setor produtivo fluminense e demais autoridades locais”.

Ainda segundo a nota o “grupo atuará por prazo determinado de 30 dias, a partir de 19 de janeiro, período no qual será discutida e avaliada a proposta do governo federal para o Santos Dumont e eventuais ajustes propostos pelos integrantes. O objetivo é estabelecer acordo para uma solução técnica conjunta que garanta o equilíbrio do sistema multi-aeroportos do estado, de modo que os aeroportos Santos Dumont e Galeão operem de forma coordenada, gerando emprego, fomentando o turismo e beneficiando diretamente o potencial econômico do Rio de Janeiro”.

Leia também: Alerj publica decreto que suspende licença do Inea e impede obras no aeroporto Santos Dumont

Informa também que “no período determinado, serão apresentadas de forma conjunta as propostas de ajustes técnicos e respectivas soluções referentes à 7ª rodada, que está em análise no Tribunal de Contas da União (TCU). Acolhidas pela Corte de Contas, elas farão parte do edital a ser lançado pelo Governo Federal para o leilão da 7ª rodada”.

O comunicado termina afirmando que o “Ministério da Infraestrutura e o Governo do Estado do Rio de Janeiro ressaltam o compromisso mútuo na busca pelo melhor modelo para a concessão do Aeroporto Santo Dumont e a disposição em manter o diálogo aberto, tendo como objetivo comum a defesa pelos interesses do Rio de Janeiro”.