Vereadores aprovam proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA) em primeiro turno

Na Tribuna, a situação dos profissionais do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes foi um dos assuntos abordados

Na sessão plenária de 09/11, os vereadores de Duque de Caxias aprovaram, à unanimidade, em primeira discussão e votação o parecer à Mensagem nº 047/2021, do Executivo, que encaminhou o Projeto de Lei nº 031/2021 estimando a receita e fixando a despesa do município para o exercício de 2022 (Lei Orçamentária Anual). 

O 1º secretário da Mesa Diretora, vereador Cláudio Thomaz (DEM), a pedido do presidente Celso do Alba (MDB) fez a leitura do Expediente do Dia. Os vereadores apresentaram indicações ao Executivo, solicitando melhorias para diversos locais, projetos de lei e de decretos legislativos e requerimentos consignando medalhas e moções a pessoas que prestam relevantes serviços ao município.

Leia também: Vereadores de Caxias cobram ações da empresa Águas do Rio e da Secretaria de Educação

Manifestações

O vereador Michel Vila Nova (PSDB) usou a Tribuna para falar sobre a canalização do canal Caboclo. “É uma obra de grande impacto que vai beneficiar as comunidades do Parque Vilanova, Vila Ideal e o bairro Laguna de Dourados”. De acordo com ele, a região sofre com alagamentos e a obra vai garantir mais segurança aos moradores.

“Essa grande obra que o prefeito Washington Reis está executando ali não beneficiará todo aquele entorno”, complementou o presidente da Casa, Celso do Alba. O vereador Michel ressaltou o empenho do prefeito Washington Reis (MDB) e dos deputados Gutemberg Reis e Rosenverg Reis pelo envio de recursos ao município e a constante fiscalização de suas obras.

Dando sequência aos trabalhos da Administração Municipal, o vereador Alex da Juliana do Táxi (MDB) foi enfático. “A gente vê, hoje, Duque de Caxias se transformar na cidade do futuro”, disse ele, apontando que o município é referência na saúde. Também comentou a situação dos profissionais do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes que, após o término do convênio da Prefeitura com o Estado, estão há três meses sem receber os salários.

Os vereadores Paulo Afonso (Republicanos) e Junior Reis (MDB) mostraram-se indignados com o problema e cobraram ações do governo do Estado. Junior Reis destacou que a Prefeitura conseguiu reestruturar o hospital no período em que o convênio estava em vigor, porém, com seu término, a situação voltou ao que era antes.

Já o membro da Comissão de Educação e Cultura, vereador Alex Freitas (SD) chamou a atenção para o que está acontecendo na Escola Municipal Aquino de Araújo que corre o risco de fechar as aulas noturnas. Ele fez apelo para que a Secretaria Municipal de Educação e à direção da instituição busquem alternativas que não causem transtornos aos alunos.

Alex Freitas também encaminhou ofício à Secretaria de Educação a fim de obter respostas sobre o total de instituições do município declaradas de utilidade pública. “Nós queremos saber a fundo junto com o Conselho Municipal de Educação e com a secretária de Educação, de que forma elas contribuem para a cidade”, salientou ele, fazendo referência à contrapartida que as mesmas dão ao município e requerendo informações sobre a Associação Fluminense de Educação. O presidente Celso do Alba demonstrou apoio e cobrou respeito aos contratos firmados com o município.

Em seguida, o vereador Marquinho Oi (DEM) abordou sobre o retorno das obras no Alto da Mangueirinha, salientando que os moradores serão contemplados com uma área de lazer.

Ao final da sessão plenária, foi registrada a presença do ex-vereador e diretor da Fundec, Jonas Santana, e feito um minuto de silêncio em homenagem à servidora da Câmara, Aline Nascimento, falecida na sexta-feira (5).