TJRJ suspende decreto que liberava uso de máscara em Duque de Caxias

Decisão restabeleceu a obrigatoriedade de uso para todos

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) suspendeu o decreto do município de Duque de Caxias (RJ) que liberava os moradores da cidade do uso de máscara em locais abertos e fechados, exceto no caso de pessoas com sintomas de covid-19.

A medida foi assinada na terça-feira (5/10) pelo prefeito Washington Reis.

Em decisão proferida na quinta-feira (7/10), a juíza Elizabeth Maria de Saad, da 3ª Vara Cível do município, restabeleceu a obrigatoriedade para todos. O despacho atendeu pleito apresentado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ). A juíza também determinou que a prefeitura promova campanha sobre a importância do uso de máscaras durante a pandemia.

Leia também: Empresa que intermediou contrato de vacina é alvo de operação da PF

Segundo a magistrada, o município ignorou determinação judicial anterior que exigia a divulgação de estudos antes da tomada de medidas de flexibilização sanitária. "Não observou que deveria antes apresentar laudo técnico demonstrando à população que o ato municipal não implica em risco à saúde e maior impacto social", escreveu Elizabeth.

Conforme a decisão, a liberação do uso de máscaras poderá ser adotada quando o município apresentar relatório devidamente embasado em evidências científicas e em análises sobre as informações da cobertura vacinal, que deve indicar um razoável percentual da população imunizada com uma e com duas doses. Também devem ser elaboradas estratégias em saúde, vigilância sanitária, mobilidade urbana, segurança pública e assistência social, demonstrando que elas são adequadas para o controle da pandemia na atual situação epidemiológica.

A juíza argumentou, em linha com decisão tomada no ano passado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que as prefeituras, os governos estaduais e o governo federal têm competência suplementar para adoção de medidas restrititvas durante a pandemia. "Nem o Estado do Rio de Janeiro nem a União decretou tal flexibilização sanitária, desobrigando o uso de máscaras", assinalou.

Elizabeth pontuou ainda que essa não é a primeira vez que Washington Reis descumpre uma determinação judicial. "Restou demonstrado que o prefeito do município declarou, publicamente por meio de jornais e entrevistas, que não cumpriria a decisão que concedeu a tutela de urgência, às fls. 309 e continuou a descumprir todas as decisões posteriores, sempre havendo relatos e fotografias que demonstram o pouco caso com a decisão da Justiça e às vidas dos moradores de Duque de Caxias", acrescentou.

Washington Reis já precisou ser internado duas vezes em decorrência da covid-19. Ele testou positivo em abril de 2020 e teve uma reinfecção em julho desse ano, sendo internado nas duas oportunidades em hospital particular na capital carioca. (com informações da Agência Brasil)