coluna saude roberto daiub

Varizes

As varizes, ou veias varicosas, são veias superficiais dilatadas das pernas. A causa principal das varizes é desconhecida, mas provavelmente deve-se a uma debilidade nas paredes das veias superficiais, que pode ser hereditária. Com o passar dos anos, a debilidade faz com que as veias percam a sua elasticidade. Distendem-se e tornam-se compridas e mais largas. Para que possam caber no mesmo espaço que ocupavam quando eram normais, as veias aumentadas tornam-se tortuosas, quando entao sobressaem da pele.

 

  • Categoria: Saúde

Síndrome de Down (Trissomia do Cromossomo 21) (Parte 1)

A síndrome de Down é a forma mais freqüente de retardo mental causada por uma aberração cromossômica. É causada pela ocorrência de três (trissomia) traços no cromossoma número 21, na sua totalidade ou de uma porção fundamental dele, quando só deveriam ocorrer dois traços cromossomiais. Trata-se de uma síndrome com uma combinação específica de características fenotípicas que inclui retardo mental e uma face típica, e trata-se de uma das anormalidades cromossômicas mais comuns em nascidos vivos.

  • Categoria: Saúde

Cefaléia (Dor de cabeça)

Cefaléia é o termo médico para dor de cabeça. É um dos sintomas mais comuns na medicina é uma das queixas mais frequentes de consultas a clínicos, pediatras e neurologistas além de cirurgiões-dentistas especialistas em disfunção temporomandibular e dor orofacial,sendo também um dos motivos mais comuns de falta ao trabalho. A cefaléia é um sintoma universal no ser humano. Estima-se que 90 a 100% das pessoas terão algum tipo de dor de cabeça ao longo da vida.

  • Categoria: Saúde

Câncer de Próstata

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza abaixo da bexiga, sendo responsável pela produção de parte do sêmen. O câncer de próstata atinge principalmente os homens acima de 50 anos de idade. O aumento de sua incidência na população é também uma decorrência do aumento da expectativa da vida verificada ao longo deste século. Pode ser curável quando detectado no início.

  • Categoria: Saúde

Síndrome de Down (Trissomia do Cromossomo 21) (Parte Final)

Deficiências de hormônios tireoideanos são mais comuns em crianças com síndrome de Down do que em crianças normais. Entre 15 e 20 por cento das crianças com a síndrome têm hipotireoidismo. É importante identificar as crianças com síndrome de Down que têm problemas de tireóide, uma vez que o hipotireoidismo pode comprometer o funcionamento normal do sistema nervoso central.

  • Categoria: Saúde

Síndrome Metabólica

Ao longo do tempo, a urbanização trouxe grandes benefícios à população, aumentando a expectativa de vida, a disponibilidade de alimentos e a melhora nos meios de transporte. Porém, esses benefícios acarretaram mudanças no estilo de vida, como o consumo elevado de gorduras, menor grau de atividade física, estresse e tabagismo. Essas mudanças, por sua vez, provocaram elevação da ocorrência de diabetes, hipertensão e obesidade fazendo das doenças cardiovasculares a principal causa de morte no mundo.

  • Categoria: Saúde

Síndrome de Down (Trissomia do Cromossomo 21) (Parte 2)

Algumas das características físicas das crianças com síndrome de Down são: achatamento da parte de trás da cabeça, inclinação das fendas palpebrais, pequenas dobras de pele no canto interno dos olhos, língua proeminente, ponte nasal achatada, orelhas ligeiramente menores com implantação mais baixa no crânio, boca pequena, tônus muscular diminuído, ligamentos soltos e mãos e pés pequenos.

            Aproximadamente cinqüenta por cento de todas as crianças com a síndrome têm uma linha que cruza a palma das mãos (linha simiesca), e há, freqüentemente, um espaço aumentado entre o primeiro e segundo dedos do pé. Freqüentemente estas crianças apresentam mal-formações congênitas maiores, sendo as principais as alterações do coração (30-40% em alguns estudos), especialmente canal atrioventricular, e as mal-formações do trato gastrointestinal, como estenose ou oclusão do duodeno (intestino) e/ou imperfuração anal .

As crianças com síndrome de Down necessitam do mesmo tipo de cuidado clínico que qualquer outra criança. Contudo, há situações que exigem alguma atenção especial. Oitenta a noventa por cento das crianças com síndrome de Down têm deficiências de audição. Avaliações audiológicas precoces e exames de seguimento são indicados. Trinta a quarenta por cento destas crianças têm alguma doença congênita do coração. Muitas destas crianças terão que se submeter a uma cirurgia cardíaca e, consequentemente dos cuidados de um cardiologista pediátrico por longo prazo.

             Crianças com síndrome de Down freqüentemente têm mais problemas oftalmológicos que outras crianças. Problemas oculares como estrabismo, miopia, e catarata precoce são freqüentemente observadas em crianças com a síndrome.

             Outra preocupação relaciona-se aos aspectos nutricionais. Algumas crianças, especialmente as com doença cardíaca severa, têm dificuldade constante em ganhar peso. Por outro lado, obesidade é freqüentemente vista durante a adolescência. Estas condições podem ser prevenidas pelo aconselhamento nutricional apropriado e orientação dietética preventiva.

  • Categoria: Saúde

Acidente Vascular Cerebral (final)

Para que o paciente possa ter uma melhor recuperação e qualidade de vida, é fundamental que ele seja analisado e tratado por uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde como fisioterapeutas, médicos, psicólogos e demais profissionais. Seja qual for o tipo do acidente, as conseqüências são bastante danosas. Além de estar entre as principais causas de morte no mundo todo, o AVC é uma das patologias que mais incapacitam para a realização das atividades cotidianas.

Conforme a região cerebral atingida, bem como de acordo com a extensão das lesões, o AVC pode oscilar entre dois opostos. Os de menor intensidade que praticamente não deixam seqüelas e os mais graves, todavia, podem levar as pessoas à morte ou a um estado de absoluta dependência, sem condições, por vezes, de nem mesmo sair da cama.

A pessoa pode sofrer diversas complicações, como alterações comportamentais e cognitivas, dificuldades na fala, dificuldade para se alimentar, constipação intestinal, epilepsia vascular, depressão e outras implicações decorrentes da imobilidade e pelo acometimento muscular.

Um dos fatores determinantes para os tipos de conseqüências provocadas é o tempo decorrido entre o início do AVC e o recebimento do tratamento necessário. Para que o risco de seqüelas seja significativamente reduzido, o correto é que a vítima seja levada imediatamente ao hospital. Os danos são consideravelmente maiores quando o atendimento demora muito para ser iniciado.

  • Categoria: Saúde
MEDCOR Exames Cardiológicos