Recurso de Washington Reis só será julgado em 2018

  • Publicado em Matérias

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), na sessão extraordinária da 2ª Turma do órgão na tarde do último dia 18, decidiu pedir vista em julgamento do recurso de Washington Reis (PMDB), que foi condenado por crime ambiental em dezembro a mais de 7 anos de prisão em regime semi-aberto. A sentença condenatória completou um ano neste mês de dezembro. O julgamento dos Embargos de Declaração interposto pela defesa de Washington está parado desde o final de julho.

A sessão da 2ª Turma do STF que analisaria o recurso no dia 18 foi marcada a pedido da Procuradora-Geral da República Raquel Dodge. Dos cinco ministros da Turma, faltaram Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. O relator Dias Toffoli votou contra o recurso de Washington, enquanto Fachin decidiu esperar a devolução do processo para declarar seu voto. Segundo o próprio STF informou ao Capital, através de sua Assessoria de Imprensa, os embargos não modificam o resultado da condenação, o que significa que ele terá que cumprir prisão durante a noite sob monitoramente da Vara de Execuções Penais.  

O processo, que tem a frente um dos mais expressivos criminalistas do País, Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido pelo pseudônimo Kakay, notório pela prestação de serviços advocatícios a políticos envolvidos em escândalos de corrupção no país, entre eles Aécio Neves, Edison Lobão, Paulo Maluf, Romero Jucá e Roseana Sarney, vem sendo adiado sucessivamente no STF desde julho. A notícia do pedido de vista feito por Gilmar Mendes foi duramente criticado por internautas nas redes sociais e WattsApp, reforçando o clima de impunidade que toma conta dos cidadãos em Duque de Caxias.

REJEIÇÃO - Washington é hoje um político com enorme rejeição no município e muito criticado por não pagar os salários do funcionalismo e por outras medidas, como a construção de um cemitério público em um momento de crise, quando a cidade já possui cinco. Essa obsessão vinculou seu nome à figura do clássico personagem Odorico Paraguaçu, da novela “O Bem Amado”, exibida pela Rede Globo com grande sucesso, cujo sonho era inaugurar, a qualquer custo, um cemitério na cidade fictícia de Sucupira. Além disso, vem sendo investigado pelo Ministério Público Federal e outros órgãos por crimes ambientais [desmatamento] e invasão de terrenos, como a área onde está sendo construído o cemitério.

Os problemas de Washington Reis não se restringem apenas à sua rejeição e à justiça criminal. Em agosto, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) cassou o seu diploma de prefeito e do seu vice- Marcos Elias Moreira (PRP). Ambos recorreram, mas perderam por 6 x 0. Agora, o processo foi para o TSE. Se for confirmada a cassação, ambos deixarão os cargos e uma nova eleição será convocada.