Professores de Duque de Caxias fazem grande protesto contra falta de pagamento de salários e corte de vantagens

  • Publicado em Matérias

            DSC01224 - site Jornal Capital Mercado e Negócios Marcelo CunhaProfessores e demais servidores da Prefeitura de Duque de Caxias promoveram no final da manhã do dia 7, uma grande manifestação pelas ruas do centro da cidade, denunciando à população projetos do prefeito Washington Reis (PMDB), aprovados pela Câmara em caráter de urgência, que retiram benefícios trabalhistas da categoria e aumento da contribuição previdenciária de todo o funcionalismo municipal. A passeata teve início após uma assembleia realizada pela manhã no Clube Belém e foi encerrada em frente à Secretaria Municipal de Educação, depois de um ato na porta da Câmara Municipal, cujas portas de acesso estavam fechadas.

                      Durante a manifestação, as lideranças do Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino (Sepe) recebiam a solidariedade de pedestres, que filmavam a passagem da caminhada, além de motoristas que buzinavam em apoio ao ato, bem como a adesão de servidores de outras categorias. Os trabalhadores gritavam palavras de ordem contra as decisões tomadas pelo prefeito e aprovadas pela Câmara. Os nomes dos 17 vereadores que participaram da votação eram citados nominalmente sob vaias durante a passeata.

- O dia 4 de agosto vai ficar marcado em Duque de Caxias como o Dia da Vergonha - diziam os oradores no carro de som que acompanhava a manifestação, lembrando a votação do que chamam de “pacote de maldades” enviados pelo prefeito ao Poder Legislativo. Os manifestantes distribuíram ainda cartazes com fotografias e nomes dos vereadores que participaram da sessão e panfletos denunciando “a repressão pelas forças policiais” que impediram o acesso dos professores ao Legislativo e a falta de diálogo do governo municipal.

                      Manifestação de professoresUma comissão que representava os professores foi recebida por volta das 13h30 na sede da Secretaria de Educação. Um encontro foi marcado no final da tarde com o prefeito, em Jardim Primavera. Por volta das 22h, a assessoria de imprensa da Prefeitura divulgou um comunicado confirmando a realização do encontro com a presença de representantes do Sepe e um grupo de vereadores. Segundo a nota, um novo encontrou foi marcado para esta terça-feira, dia 8, mantendo aberto o diálogo. Conclui afirmando que as medidas de austeridade são necessárias neste momento mas que “o governo municipal está atento e não prejudicará o funcionalismo”.

                      O Sepe, por sua vez, informou que a categoria foi representada por algumas de suas lideranças, como Marisa Gonzaga, Thays Rosalin, Rose Cipriano, Nadia de Aquino, Helenita Bezerra e Flavio, bem como de Maria Cândida de Oliveira e Maurício Rodrigues. Informaram que não foram informados de que os vereadores participaram da reunião, o que foi uma surpresa para categoria. Os vereadores que estavam eram André do Adriano, Arthur Monteiro, Beto Gabriel, Carlinhos da Barreira, Carlos de Jesus, Chiquinho Grandão, Danilo do Mercado, Deise do Marcelo do Seu Dino, Delza de Oliveira, Gilberto Silva, Juliana do Taxi, Junior Reis, Junior Uios, Kiko de Xerém, Marcos Tavares e Valdeci, além do líder de governo Nivan de Almeida e o presidente Sandro Lelis. Foi proposto que a categoria encerrasse o movimento e desse continuidade às negociações, o que não foi aceito pelos professores sem a garantia, por parte do prefeito e dos vereadores, de uma “ação efetiva” em revogar as medidas.